Banner Relep 2021_atualizado_horiz.jpg

Cronograma do evento:

Envio de resumos:

- Até 18/10/2021

Publicação das comunicações aceitas:

- 18/10/2021

Envio dos textos completos:

- Até 20/11/2021

(prazo máximo para publicação nos anais do evento)

Apresentação

“Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão”. Atos 2:17-18. 

Em perspectiva teológica, o texto bíblico fundante do movimento pentecostal é claro: a ação do Espírito não tem discriminação de raça, gênero ou classe. Todas as pessoas são dignas; a ação do Espírito Santo é paritária, igualitária e libertadora. Diferente da teologia medieval que, a priori, destinava uns para a salvação e outros para a perdição, a teologia pentecostal surgiu abraçando todas as pessoas – negros, brancos, ricos, pobres, mulheres, homens, jovens e velhos. Essa é sua herança! 

 

Como o “caminho se faz caminhando”, é necessário recordar que o Espírito sopra onde quer. Assim, questiona as estruturas sociais que indultam os ricos e oprimem os pobres, condena as patologias raciais que marginalizam os negros, transcende os limites ministeriais que excluem as mulheres e liberta das discriminações sexuais que subjugam as condutas. Liberta, inclusive, os pentecostais dos exclusivismos religiosos que não conseguem ver a ação do Espírito fora deles, e até contra, seus redutos denominacionais. 

 

A RELEP Brasil (Rede Latino-americana de Estudos Pentecostais) assume o compromisso de pensar e viver essa superação, e, como ocorreu no dia de Pentecostes e nos demais movimentos proto-pentecostais anteriores ao principal centro irradiador dos pentecostalismos modernos – a Azusa Street –, sabemos que o tema não tem consenso tanto interno como externo. Se em 2019, quando essa temática foi escolhida para o encontro de 2020, a necessidade de pensarmos os pentecostalismos e os direitos humanos era premente, agora em 2021, não somente no Brasil, mas também no mundo, é mais que urgente.  As estimativas mundiais apontam que os pentecostalismos congregam mais de 500 milhões de pessoas no mundo, sendo milhões delas, no Brasil. Grupo majoritariamente composto por mulheres, pobres e negros – os grupos mais afetados pela pandemia e pelo ataque aos direitos humanos. 

 

O evento será online e buscará refletir sobre a temática dos direitos humanos em diferentes dimensões e olhares nos pentecostalismos. Haverá mesas com a participação de pesquisadores internacionais, previamente gravados, que estarão disponíveis para os inscritos, com falas em torno de 15 minutos. Na mesma linha, o evento receberá inscrições para comunicações. 

Programação

21/10/2021 (quinta-feira) 

MESA DE ABERTURA

Comitê Gestor Brasil/Comitê Latino e representantes dos PPGs organizadores

PAINEL 1: 

PENTECOSTALISMOS E DIREITOS HUMANOS: DESAFIOS GLOBAIS

Mediador: Ismael de Vasconcelos Ferreira

Palestra 

DESAFIOS TEOLÓGICOS NA RELAÇÃO PENTECOSTALISMOS E DIREITOS HUMANOS

Daniel Chiquete, doutor em Teologia pela Universidade de Hamburgo, Alemanha/México

Palestra 

ESPIRITUALIDADE PENTECOSTAL E A QUESTÃO DA PRESENÇA PÚBLICA DAS IGREJAS

Paulo Ayres, doutor em Teologia pela Universidade Drew, EUA/ Brasil

Palestra 

PENTECOSTALISMOS EN DISPUTA: IMAGINARIOS Y TENSIONES EN EL ACTIVISMO DE LAS ORGANIZACIONES DE SOCIEDAD CIVIL LATINOAMERICANAS

Nicolas Panoto, Teólogo y Doctor en Ciencias Sociales. Investigador Asociado del Instituto de Estudios Internacionales (INTE), Universidad Arturo Prat (Chile)

Palestra

DO PENTECOSTALS HAVE ANYTHING TO OFFER TO HUMAN RIGHTS DEBATES?

Néstor Medina, doutor em teologia, Universidade de Toronto, Canadá 

PAINEL  2

PENTECOSTALISMOS, INTOLERÂNCIA E CONFLITOS ATUAIS 

Mediadora: Marina Correa

 

Palestra

CONFLITOS RELIGIOSOS ENTRE OS PENTECOSTAIS, CATÓLICOS E QUILOMBOLAS

Marina Correa, doutora em Ciências da Religião – PUC-SP, UFS,  Brasil

Palestra

“ALVO MAIS QUE NEVE” E OS “NEGROS BATALHÕES”: AS METÁFORAS DESNUDAM OU ENCOBREM? 

Gedeon Alencar, doutor em Ciências da Religião – PUC-SP, FTBSP.  

Palestra

PENTECOSTALISMOS E A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA 

Adriano Lima, doutor em Teologia (PUC-PR), FABAPAR.  

22/10/2021 (sexta-feira)

PAINEL 3 

PENTECOSTALISMO E EDUCAÇÃO TEOLÓGICA AMBIENTAL

Mediadores: Moab César e Angela Maringoli

Palestra

PENTECOSTALISMOS, SÍNODO PARA A AMAZÔNIA E POLÍTICA AMBIENTAL BRASILEIRA.

Moab César, doutor em História, UEMASUL, Brasil.

Palestra

TEOAMBIENTOLOGIA: UMA FILOSOFIA AMBIENTAL OU UMA TEOLOGIA AMBIENTAL 

Angela Maringoli, doutora em Ciências da Religião, UMESP-SP, ONG OIKOS Escola Para a Vida  -  Brasil .

Palestra

TEOLOGIA DA COMIDA E INTERFACES COM A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL.

Daniela Sanches Frozi, doutora em Ciências da Nutrição – UFRJ,  Fiocruz Brasília. 

Palestra

TRANSFORMANDO A EDUCAÇÃO TEOLÓGICA PENTECOSTAL PARA UMA EFETIVA EDUCAÇÃO TEOLÓGICA AMBIENTAL

Ricardo Bitun, doutor em Sociologia-PUC-SP, UPM.

Palestra

IMPASSES DA CONSCIENTIZAÇÃO ECOLÓGICA NO RAMO PENTECOSTAL

Renan William dos Santos, doutorando em Sociologia USP/Drew, EUA 

Palestra

O ESPÍRITO DA CRIAÇÃO: O ALCANCE ECOLÓGICO DA PNEUMATOLOGIA

Marcial Maçaneiro, doutor em Teologia, PUC-PR. 



PAINEL  4 

PENTECOSTALISMOS E QUESTÕES MIGRATÓRIAS

Mediadora: Eunice Rios

Palestra

PENTECOSTALISMO ÉTNICO NO BRASIL

Samuel Valério, doutor em Ciências da Religião-UMESP, FAESP,  Brasil

Palestra

AS MIGRAÇÕES INTERNAS NO BRASIL NO INÍCIO DO SÉCULO XX E A EXPANSÃO PENTECOSTAL

Eunice Rios, Doutoranda em Geografia na UFG, Brasil

Palestra

PENTECOSTALISMOS AFRICANOS 

Orlando Camutue Gunlanda, doutorando em Psicologia – UFSC, Angola 

23/10/2021 (sábado) 

 

PAINEL 5 

PENTECOSTALISMOS E A PANDEMIA 

Mediador: Victor Breno Barroso

 

Palestra

PENTECOSTALISMO EM TEMPOS DE COVID-19: "O SOFRIMENTO É PERMITIDO POR DEUS, MAS A SAÚDE E A VIDA DO POVO NAS PROVIDÊNCIAS HUMANAS"

André Magalhães, doutorando em Ciência da Religião - PUC-SP, Brasil  

Palestra 

PENTECOSTALISMOS E DESAFIOS DA SAÚDE PÚBLICA 

Patricia Carla, doutora em Saúde Pública - USP 

Palestra

PENTECOSTAIS E PANDEMIA: PERCEPÇÕES, COMPORTAMENTOS E SENTIDOS 

Victor Breno Barroso, doutor em Ciências da Religião, UFPB, Brasil

Palestra 

TÍTULO PENDENTE 

Reinaldo Arruda Pereira, doutor em Ciências da Religião, FABAPAR, Brasil

Palestra 

TÍTULO PENDENTE 

Elias Wolff, doutor em Teologia, PUCPR, Brasil

PAINEL 6  

PENTECOSTALISMOS LATINOS 

Mediador: David Mesquiati

          

Palestra

PENTECOSTALISMOS INDÍGENAS NA AMÉRICA LATINA

Juan Jacobo Tancara, doutor em Sociologia pela Universidade de Bielefeld, Alemanha/Chile

Palestra

LOS CAMBIOS TEOLÓGICOS Y LAS JUVENTUDES PENTECOSTALES EN AMÉRICA LATINA.

Jeferson Rodriguez, doutorando em Teologia Intercultural , Colômbia 

Palestra

LA MUJER PENTECOSTAL Y LOS DERECHOS HUMANOS: UNA HISTORIA QUE CONTINÚA SU LUCHA".

Laura Sáa, doutoranda em Teologia, SEMISUD, Equador 

Palestra

TÍTULO PENDENTE

David Mesquiati de Oliveira, doutor em Teologia pela PUCRIO e docente do PPGCR-UNIDA

PAINEL 7 

PENTECOSTALISMOS MUNDIAIS 

Mediador: Paulo Ayres

Palestra

ASIAN PENTECOSTALISM AND THE FLOURISHING OF LIFE

Wonsuk Ma, doutor em Teologia, Oral Robert University/EUA

            

Palestra

PENTECOSTALISMOS NOS EUA 

Lois Olena, doutora em Teologia, Springfield/EUA 

            

Palestra

PENTECOSTALISMOS NA ITÁLIA 

Gustavo di Santo, doutor em Sociologia, Universidade da Calábria, Itália

Palestra

SOCIAL ENGAGEMENT IN OCEANIA PENTECOSTALISM

Denise Austin, doutora em Teologia, Alpha Crucis College- Austrália. 

Palestra

PENTECOSTALISM, SOCIAL ETHICS, SOCIAL MINISTRY, AND HUMAN RIGHTS: EXPERIENCES OF EUROPE

David Bundy 

Palestra

PENTECOSTALISM, HUMAN RIGHTS, AND SPIRITUAL VIRTUDES: THEOLOGICAL CONTRIBUTIONS TO THE ISSUE

Lisa Stephenson

PAINEL 8

PENTECOSTALISMOS E DESAFIOS TEOLÓGICOS 

Mediador: Kenner Terra

            

Palestra

PENTECOSTALISMOS, DIREITOS HUMANOS E TEOLOGIA

Kenner Terra, doutor em Ciências da Religião (UMESP), FUV, Brasil 

Palestra

PENTECOSTALISMOS & DESAFIOS TEOLÓGICOS PARA O SÉCULO XXI: ENTRE VISIONES Y SUEÑOS

Elizabeth Salazar, doutora em Ciências da Religião -UMESP, Chile. 

Palestra

TEOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: A PNEUMATOLOGIA PENTECOSTAL E A PROMOÇÃO DA JUSTIÇA

Regina Fernandes, mestre em Teologia, presidente da FTL Continental. 

Palestra

ENTRE VASILHAS VELHAS E NOVAS: A LEITURA DA BÍBLIA EM LUGARES JÁ E NUNCA VISTOS..

Sidney Sanches, doutor em Teologia (FAJE), FLAM, Brasil

   

Palestra

PENDENTE

Rudolf von Sinner, doutor em Teologia PUCPR, Brasil

Grupos de Trabalho

PROPOSTAS DE COMUNICAÇÃO DEVEM SER ENVIADAS PARA O E-MAIL relepnucleobrasil@gmail.com após preenchimento do formulário de inscrição.

GT1 - Pentecostalismos, Direitos Humanos e Teologia Ambiental  - Teo Ambientologia  

Coordenação: Dra. Angela Maringoli e Dr. Marcial Maçaneiro

A proposta do GT é refletir sobre o tema da sustentabilidade planetária usando a interdisciplinaridade e as intersecções entre a Educação Ambiental, a Educação Teológica e as muitas correntes filosóficas, espirituais e pentecostais que permeiam esse tema, o que inclui a  Eco teologia , a Teologia Ambiental ou Tec Ambientologia, e os seus muitos  estudos da biodiversidade, dos desenvolvimentos sustentáveis, das leis contra os crimes ambientais, a responsabilidade social do ser humano e o esgotamento dos recursos planetários no quesito mordomia cristã e outros. Sugerimos que as comunicações investigativas pontuem dados de pesquisas empíricas sobre o assunto, assim como suas aplicabilidades nas políticas públicas, nas questões sociais e econômicas e suas implicações ambientais. Nosso objetivo é gerar uma produção de conhecimento com a capacidade de preparar indivíduos e grupos para o exercício da cidadania.   

GT 2 - Pentecostalismos, Direitos Humanos e Teologia 

Coordenação: Dr. Fernando Albano (REFIDIM), Dr. Ailto Martins (REFIDIM), Dr. Jefferson Zeferino (PUCPR), Dr. Eduardo Soncini Miranda (UNICAMP)

 

Refletir sobre: Os princípios básicos dos direitos humanos, os quais afirmam que todas as pessoas são dignas de respeito e acolhimento. É por conta do princípio da igualdade entre as pessoas que nenhum indivíduo, etnia ou classe social pode promover a redução da humanidade do outro. Por conseguinte, as sociedades desenvolveram, ao longo dos tempos, instituições jurídicas que fossem promotoras e defensoras dos direitos humanos. Contudo, ao observar os acontecimentos recentes em âmbito nacional, percebe-se a ascensão de políticas que comprometem direitos fundamentais. Cresce a promoção de posturas racistas, sexistas, intolerância e violência religiosa, bem como fundamentalismos, principalmente nos pentecostalismos, que não poucas vezes, assumem formas de discriminação de pessoas e culturais distintas. Diante disso, tem-se a seguinte problemática: Como se dá a incidência pública dos pentecostalismos no que tange questões de direitos humanos? Há fundamentos teológicos nos pentecostalismos que afirmam a dignidade humana e sua diversidade? Assim, o presente GT busca equilibrar dois movimentos metodológicos um crítico-analítico de detecção dos fatos e discursos pentecostais no espaço público; e um crítico-propositivo que busca rever teologicamente limites e possibilidades das próprias tradições pentecostais que possam auxiliar a pensar a condição humana e seus direitos na situação contemporânea.

GT 3 - Pentecostalismos, Direitos Humanos e História 

Coordenação: Dr. Maxwell Fajardo e Dr. Moab Carvalho

 

O GT acolhe pesquisas que se debruçam sobre o estudo do movimento pentecostal em perspectiva histórica, e que preferencialmente, estabeleçam relações com as diversas temáticas possíveis a partir do eixo direitos humanos.  Parte-se do pressuposto que o pentecostalismo, em suas múltiplas expressões, tanto em termos institucionais quanto não-institucionais, apresenta variadas possibilidades de investigação científica ainda inexploradas ou pouco analisadas. Desta forma, o GT pretende ser um espaço em que a exposição de tais pesquisas possa promover discussões sobre as rupturas e continuidades históricas de pensamentos e práticas pentecostais produzidas em diferentes contextos, relacionadas à promoção da dignidade humana.  

 

GT 4 - Pentecostalismos, Direitos Humanos e Intolerância 

Coordenação: Dra. Marina Correa, Dr. Adriano Lima e Dr. Gedeon Alencar

 

Apesar de a Constituição Federal abrigar a liberdade religiosa de maneira nítida e inequívoca, o fenômeno da violência e intolerância religiosa ainda se revela um desafio ao convívio numa sociedade plural e uma barreira para a efetivação plena da liberdade religiosa no Brasil. Historicamente, o movimento pentecostal no Brasil e no mundo, foi e tem sido, tanto vanguardista em termos de direitos sociais (para mulheres, negros e imigrantes, por exemplo), como promotor de posturas intolerantes, violências e discursos de ódio. No cenário público brasileiro atual, certas lideranças midiáticas e pastores que ocupam cargos políticos, alinhados ou não a projetos institucionais de determinadas denominações, assumem a agenda de um forte racionalismo moral e aparelhadas a grupos ideológicos com pretensões de arregimentaram-se ao poder, tendem a reiterar posturas de intolerância, especialmente contra minorias religiosas e movimentos sociais diversos. O presente GT está direcionado a trabalhos interdisciplinares que abordem os discursos e práticas de intolerância e violência das lideranças e igrejas pentecostais no espaço eclesiástico e/ou público, como também, casos, modelos e perspectivas assumidas pelo pentecostalismo no enfrentamento destas problemáticas e na promoção dos direitos humanos.

 

GT 5 - Pentecostalismos, Direitos Humanos e Política 

Coordenação: Dr. Kenner Terra e Dr. Ismael de Vasconcelos Ferreira

 

O GT acolhe propostas que discutam de forma interdisciplinar a relação entre Pentecostalismos (sua história e intuições teológicas) e as discussões públicas/políticas relacionadas aos Direitos Humanos. A partir da compreensão do movimento pentecostal como espiritualidade e empoderamento dos povos das  “margens”, o grupo temático se insere na intersecção das discussões relacionadas às ciências jurídicas, às ciências sociais, das linguagens e teológicas.        

GT 6 - Pentecostalismo, Direitos Humanos e Questões Indígenas 

Coordenação: Dr. David Mesquiati de Oliveira

 

Acolhe comunicações que tratem de questões indígenas, especialmente em relação aos Direitos Humanos, e, sempre que possível, que mapeiem os pentecostalismos indígenas e sua atuação. O segmento pentecostal em áreas indígenas é pouco estudado no Brasil. Esse Grupo de Trabalho quer incentivar pesquisas nessa área.

GT 7 - Pentecostalismo, Direitos Humanos e Questões de Saúde 

Coordenação: Dr. Valdinei Gandra, Dr. Victor Breno Barroso e Dr. Reinaldo Arruda Pereira

O Grupo de Trabalho em questão visa acolher pesquisas que trabalham a relação entre religião e saúde, particularmente tendo como eixo principal os pentecostalismos. Trata-se de uma relação pouco explorada, mas há uma tendência de ampliação com o contexto pandêmico atual. Destaca-se que tal proposta evidencia o caráter interdisciplinar do GT, já que possibilita a comunicação de trabalhos das mais diversas áreas. Espera-se que o GT contribua para a ampliação e a articulação  dessas pesquisas, aproximando pesquisadores/as que se debruçam sobre as temáticas em questão.     

GT 8 - Transnacionalização, Migração e Pentecostalismos Globais 

Coordenação: Drnda. Eunice Rios e Dr. Samuel Valério

O evento fundante nos Atos dos Apóstolos (2:9-10) é marcado pela pluralidade étnica, racial e de gênero. Essas pessoas que estavam em Jerusalém, ao retornarem aos seus lugares de origem, levaram a mensagem pentecostal. No final do século XIX, o mundo alcança um bilhão de pessoas, no final do século XX, chega a 7 bilhões. No "século do Espírito Santo", como é chamado o século XX, o movimento pentecostal prolifera nos diferentes ramos do cristianismo catolico, ortodoxo e protestante, e, segundo estimativas, alcança 500 milhões de membros. Portanto, acompanhando a explosão demográfica, milhares de migrantes alcançam o mundo, pois, sem migração - desde os Atos até o presente -, não há pentecostalismos.

GT 9 - Pentecostalismos, Direitos Humanos e Discursos 

Coordenação: Drndo. Lucas Medrado e Drndo. Francikley Vito 

Como toda manifestação religiosa, os Pentecostalismos caracterizam-se por sua heterogeneidade constitutiva e seus enunciados se constituem por uma multiplicidade de vozes que dialogam, tanto no interior do próprio movimento pentecostal, assim como com outras esferas socioideológicas. Sob tais premissas, o Grupo de Trabalho (GT) - Pentecostalismos, Direitos Humanos e Discursos visa acolher trabalhos que procuram refletir sobre os Pentecostalismos partindo de seus discursos (nas mais variadas linhas teóricas), ou seja, pelo viés da linguagem, em seu diálogo com os Direitos Humanos e outras problemáticas da dinâmica sócio-histórico-religiosa, pensando o sujeito pentecostal, seu lugar de fala e suas ideologias.

 

Comissão Organizadora

Dr. Angela Maringoli (RELEP)
Dr. David Mesquiati de Oliveira (PPG UNIDA)
Dra. Eunice Rios (RELEP)
Dr. Gedeon Freire de Alencar (RELEP)
Dr. Ismael de Vasconcelos Ferreira (RELEP)
Dr. Maxwell Fajardo (RELEP)

Dr. Paulo Ayres Mattos (RELEP)
Dr. Reginaldo Pereira de Moraes (PPG FABAPAR)
Dr. Rudolf von Sinner (PPG PUCPR)
Dr. Valdinei Gandra (RELEP)
Dr. Victor Breno Barroso (RELEP)

Comitê Científico

Dr. Adriano Lima, PPGT, FABAPAR, Brasil
Dr. David Mesquiatti de Oliveira, PPGPCR, UNIDA, Brasil
Dr. Elias Wolff, PPGT, PUC-PR, Brasil
Dr. Gustavo di Santo, PPGS, Universidade da Calábria, Itália
Dr. Henrich Schaeffer, PPGS, Universidade de Bielefeld, Alemanha
Dr. Miguel Ángel Mansilla, PPGS, Universidad Arturo Prat, Chile
Dr. Moab César Carvalho Costa, PPGHis, UEMASUL, Brasil
Dra. Marina Correa, PPGCR-UFS, Brasil 
Dr. Marcial Maçaneiro, PPGT-PUCPR, Brasil
Dr. Reginaldo Pereira de Moraes, PPGT, FABAPAR, Brasil
Dr. Rudolf von Sinner, PPGT-PUCPR, Brasil